Um passeio pela Rota 66

  • Rota 66 em Flagstaff, Arizona
  • Rota 66 em Winslow, Arizona

Description

Description

Rota 66, EUA

A histórica Rota 66 cruza os estados de Illinois, Missouri, Kansas, Oklahoma, Texas, Novo México, Arizona e CalifórniaRead 'Entendendo a Rota 66' in English

Você sabia que oficialmente a Rota 66 não existe mais?

Se um dia, por curiosidade, você procurar num mapa onde fica a Rota 66 nos Estados Unidos, provavelmente vai achar que seu mapa está desatualizado. Na internet, os aplicativos e sites até sugerem “rota 66” ou “route 66” quando você começa a digitar. Mas ao clicar em alguma das opções, verá que em mais de 90% das vezes você cairá num lugar onde as estradas e avenidas têm outros nomes. O mapa também poderá mostrar locais até afastados da rodovia e, igualmente, você ficará sem entender porquê.

A Rota 66 em si não existe mais. Ela foi desativada nos anos 80 quando os Estados Unidos criaram o sistema interestadual de rodovias (todas aquelas estradas que começam com “I”, tipo a I-10 – que vai da Califórnia à Flórida – e a I-40 – Califórnia à Carolina do Norte). Isso porque a Rota 66 original era de mão-dupla e não era a opção mais rápida para ligar a região central do país à costa oeste. Era como a ir do Rio a São Paulo até a década de 50. Antes da construção da via Dutra, você precisava dar uma grande volta pelo interior do estado do Rio, o que aumentava bastante a duração da viagem e, em consequência, os gastos.



Mas nessa época, a fama da Rota 66 já tinha atingido o imaginário norte-americano e até mundial. O cinema e a literatura imortalizaram a estrada que entre as décadas de 30 e 60 facilitou a migração em massa de Illinois até a Califórnia. Basta lembrar que os EUA se recuperavam da Depressão de 1929. O desemprego era muito alto e as condições da agricultura no interior do país não eram das melhores. Muitas famílias resolveram largar tudo e começar uma vida nova na costa oeste.

Depois disso, nos anos 50, os motivos eram outros: a busca pela liberdade. Para os jovens, nada mais aventureiro que fugir do frio do norte do país e da sociedade conservadora na região central e viver a vida num cenário de sol, praia e calor quase que o ano inteiro.

No início, a Rota 66 era a única estrada que permitia essa viagem e foi a primeira rodovia interestadual asfaltada do país. Isso com um pouquinho de propaganda, coisa que os americanos sempre fizeram muito bem. Logo após a sua criação, surgiu também a “Associação da autoestrada 66” (hoje existem várias associações em todos os estados que ela corta, mas na época era uma só). E essa entidade fez de tudo pra promover o turismo pela Rota 66. Com isso, surgiram várias cidadezinhas e negócios às margens da pista, que cresceram e se desenvolveram nos anos seguintes.

A Rota 66 hoje

Hoje a grande maioria destes lugares não existe mais. Foram à falência com a criação e expansão das novas rodovias. E por isso mesmo, ao percorrer esta estrada, às vezes você encontra locais dignos de filmes de velho-oeste: o antigo posto de combustíveis, a lojinha, o restaurante com a arquitetura toda preservada etc.

Meu interesse pela Rota 66 surgiu quando descobri que a estrada ganhou esse nome exatamente no dia do meu aniversário, em 1926: um lindo 30 de abril (hahaha). E a curiosidade aumentou quando eu morava em Los Angeles, e num belo dia ao passear por Santa Mônica vi placas indicando que eu estava na histórica Rota 66. Como assim? Pensei na hora. Nunca imaginei que um dia eu estaria tão perto…

End of the Route 66 in Santa Monica, California

De lá pra cá, já dirigi em grandes partes da estrada por 4 vezes, cruzando os estados da Califórnia, Arizona, Novo México e Oklahoma. Pra completar o caminho inteiro, é preciso ainda continuar pelo norte do Texas, Kansas, Missouri e Illinois. Mas você não precisa fazer todo o trajeto pra entender a importância desta estrada para os americanos e o que ela significou historicamente, até no que diz respeito à cultura automobilística do país.



O que Ver e Fazer ao longo da Rota 66

Se você realmente quiser seguir pela antiga Rota 66, em várias partes precisará deixar a autoestrada e continuar em vias de mão-dupla secundárias. Em outras áreas, vale a pena sair da via principal para conhecer lugares próximos, como a Meteor Crater (uma cratera aberta por um meteorito que se chocou contra a Terra há uns 50 mil anos), Flagstaff (a cidade inteira é uma gracinha) e, claro, o Grand Canyon! Todos ficam no estado do Arizona, que por sinal é considerado o local com as paisagens mais bonitas. Com exceção do Grand Canyon, mostrei algumas atrações neste vídeo de uma das minhas viagens pela Rota 66:

Outros lugares históricos (e até engraçados) que valem a parada são:
– Cadillac Ranch em Amarillo, no Texas: Vários Cadillacs semi-enterrados no chão onde os visitantes são encorajados a deixar sua marca – leia-se: pode pixar à vontade
– Shea’s Gas Station Museum em Springfield, Illinois: Um museu que reúne vários itens comuns na Rota 66 das décadas de 50-60, como artigos dos postos de combustíveis, cabines telefônicas, fotos, letreiros, etc
– Cidade de Santa Fé, no Novo México: A cidade inteira é um charme

Junte-se a isso  os locais que marcam o início e o fim da estrada:
– Grant Park, em Chicago: Onde acontece o Lollapalooza e onde Barack Obama fez o discurso após se eleger presidente em 2009 
– Píer de Santa Mônica, na Califórnia: Fim da linha, quando a estrada chega ao oceano Pacífico.

Ao longo de todo o caminho você vê placas mostrando “66” ou “Historic Route 66”, além de várias lojinhas vendendo souvenirs. Aqui você encontra uma lista completa com várias atrações.

Route 66

Planejando a Viagem

Hoje, o interesse pela Rota 66 cresce a cada dia. Há agências criando tours especializados, onde você pode comprar um pacote pra fazer o trajeto até de Harley Davidson. O tempo médio recomendado para a viagem é de uns 8 dias, já que aí você pode parar à vontade e não precisa se preocupar com tempo e distância. Lembre-se que a estrada não é duplicada em vários trechos e em outros é cheia de curvas. Mas também não é difícil dirigir por conta própria, pois a via inteira é muito bem sinalizada e sempre há indicações de onde entrar e sair das rodovias principais. Também há placas indicando as atrações nas proximidades. Fora que é só ficar de olhos abertos que você inevitavelmente vai ver as construções e letreiros históricos.

Mas, ao se planejar, prefira viajar no outono ou na primavera. O inverno é frio demais, com muita neve do Texas pra cima (eu sei, é lindo, mas também perigoso se você não está acostumado a dirigir na neve. E aqui não estamos falando de ir de casa até o trabalho…). Já o verão é quente demais, o que pode tornar as paradas verdadeiros martírios (sem nem entrar em detalhes sobre o calor se você estiver de moto).

Oficialmente a Rota 66 pode até não existir mais (e por isso você sempre vê a palavra “histórica” na frente do 66). Mas os americanos não têm a menor intenção de deixar a mítica morrer. E nem eu.

Bjs e abraços aventureiros,



E você? O que achou? Tem mais alguma dica?

Contact

Contact
  • Category
    América do Norte
  • Location
    Arizona, EUA
  • Tags
    arizona, california, dicas de viagem, dirigir nos eua, road trips, rota 66
E você? O que achou? Tem mais alguma dica?